ADOLFO MESQUITA NUNES

vice-presidente

EDITORIAL

Regresso ao futuro

 

A Folha CDS começou com o CDS (veja-se: https://ephemerajpp.com/2014/06/29/folha-cds/),fez-se com o CDS, e com ele teve os seus momentos altos, o seu apogeu, o seu declínio, o seu quase efetivo desaparecimento.

 

Talvez a Folha CDS seja um bom retrato da forma como olhamos para o nosso passado, para a nossa história como partido. Foi por isso uma decisão sensata, orgulhosa, afirmativa, esta de voltar a publicar a Folha CDS, recuperando o nome, a convicção, a função de nos unirmos, dirigentes e militantes, estruturas e filiados, numa causa comum.

 

Faz esta semana dois anos que a Folha CDS ressurgiu, que a quisemos recuperar, e é por isso uma edição especial, e um orgulho especial, que não teria sido possível sem todos aqueles que ao longo dos últimos dois anos a produziram, e que gostaria de nomear um por um: Alexandra Benitez, André de Soure Dores, António Miguel Lopes, António Reis Faria,Cláudia Évora, Isabel Santiago Henriques, Nuno Serra Pereira, Paula Almeida, Rui Santos e Tiago Sá; todos sob a coordenação do António Carlos Monteiro, do João Pinho de Almeida e, de há uns meses para cá, de mim próprio. Um agradecimento é também devido a todos aqueles que colaboraram, com os seus artigos, sugestões e disponibilidade, com esta Folha.

 

Estes dois anos são ainda poucos para nos podermos comparar aos anos e anos que a Folha CDS nos acompanhou no passado. Mas há algo de muito relevante neles: marcam dois anos em que nunca quisemos deixar de ter o passado para nos acompanhar.

 

NACIONAL
OPINIÃO
PARLAMENTOS
AUTARCAS