﷯ folhacds 18 ABRIL 2017
Açores têm de apostar mais na agricultura e nas pescas -

O presidente do Grupo Parlamentar do CDS dos Açores, Artur Lima, defendeu ser “fundamental” o arquipélago apostar mais nos setores produtivos, nomeadamente na Agricultura e nas Pescas, criticando as “más políticas e apostas” do Governo Regional socialista.

 

“É fundamental para nós a aposta nos setores produtivos, na nossa terra e no nosso mar. A aposta que temos de fazer é nos setores produtivos e complementarmente no turismo”, afirmou publicamente Artur Lima, após visitar o matadouro da ilha de São Jorge, no final de dois dias de jornadas parlamentares na ilha, dedicadas aos principais setores económicos e produtivos da ilha, nomeadamente a agricultura e as pescas.

 

Para Artur Lima, embora o atual matadouro existente em São Jorge “vá respondendo às necessidades” é preciso “pensar a longo prazo e não pensar em fazer remendos”, tendo em conta que “São Jorge é a terra da lavoura por excelência”.

 

Os populares registaram ainda a melhoria na qualidade da carne abatida nos matadouros dos Açores e, em particular no de São Jorge, na sequência da aprovação de uma iniciativa do CDS, no ano passado, sobre os controlos de PH das carcaças abatidas na Região.

No último dia das jornadas parlamentares, o deputado e líder do CDS Açores considerou, também, que o queijo de São Jorge, um produto emblemático da ilha, “não está a ser valorizado” e defendeu um maior equilíbrio entre a aposta na carne e no leite: “É preciso ter estratégia e o Governo Regional não tem”, alegou Artur Lima.

 

Os deputados democratas-cristãos tinham visitado o Entreposto Frigorífico das Velas, lamentando que o executivo açoriano ainda não tenha avançado com a construção de uma nova infraestrutura: “Acho que não tenho adjetivo que possa aplicar ao que vimos, quer em termos de condições de frio, de condições de trabalho, quer em termos de condições de higiene, quer em todos os termos que possam imaginar de maneira negativa”, disse sobre o entreposto, lamentando que “nunca pensei que ao fim de 40 anos de Autonomia e 20 anos de Governo Regional socialista as Pescas fossem tão desrespeitadas como estão a ser neste momento”.

 

Segundo disse é devido às “más políticas e apostas do Governo Regional socialista que os Açores não têm economia, as ilhas estão a ficar desertificadas e os jovens não entram para a lavoura e para a pesca”.