﷯ folhacds 18 ABRIL 2017

JP organiza Colóquio sobre a Eutanásia

-

Numa altura em que o debate de ideias se centra na despenalização e legalização da Eutanásia, enquanto tema estruturante e controverso da atualidade em Portugal, a Juventude Popular (JP) promoveu, no passado dia 1 de Abril, um Colóquio dedicado à discussão do tema, na Casa da Cultura em Coimbra.

 

A Eutanásia não pode ser discutida de ânimo leve, pois é um tema de extrema complexidade e de uma grande sensibilidade. Ademais, configura grandes antagonismos e divide a sociedade. Ao mesmo tempo, os mais esclarecidos assistem estupefactos com grande leviandade quando se fala do mesmo.

 

Nessa esteira, a JP assumiu um papel ativo no esclarecimento dos cidadãos a fim de contrariar a desinformação causada por soundbites perigosos que escondem ou deturpam a realidade, preferindo a formação ao invés da formatação. Assim, reuniu-se um painel de excelência, diversificado quanto às sensibilidades e áreas de estudo dos oradores para que desta forma fosse prestada uma informação clara e eficaz.

 

Cada um é livre de formar a sua opinião, mas uma opinião mal fundamentada, sem estar alicerçada no conhecimento, só pode levar ao erro e ao engano com consequências muito negativas. A sociedade não se deve iludir numa questão tão séria, que já de si, provoca acesas discussões se não for abordada com a maior seriedade, provocando apenas confusão e alarido em nada propícios à dignidade que deve presidir ao debate.

 

Por isso mesmo, o colóquio foi constituído por três painéis concentrados em três áreas diferentes com várias personalidades distintas da sociedade.

 

Com a sala sempre lotada durante todo o dia - quase 300 jovens marcaram presença no evento - iniciámos com o primeiro painel subordinado ao tema: "Eutanásia: direito a morrer?", que contou com a participação dos Professores da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (FDUC), Prof. Doutor André Dias Pereira e Prof. Doutora Mafalda Miranda Barbosa, e do líder do grupo parlamentar do CDS, Dr. Nuno Magalhães.

 

O segundo painel, teve como referência o tema: "Eutanásia: qual o papel dos prestadores de cuidados de saúde?", com a participação do Dr. Miguel Guimarães (Bastonário da Ordem dos Médicos), do Prof. Doutor Carlos Maurício Barbosa (Ex-Bastonário da Ordem dos Farmacêuticos) e do Prof. Doutor António Maia Gonçalves (Médico e Diretor de uma Unidade de Cuidados Intensivos).

 

No último painel, estiveram frente a frente, o Dr. José Manuel Silva (Ex-Bastonário da Ordem dos Médicos) e o Dr. Hugo Ferreira (Assessor Jurídico do Grupo Parlamentar do BE), onde se discutiu "Qual o paradigma de sociedade queremos?".

 

Na sessão de encerramento, o Presidente da JP, Francisco Rodrigues Dos Santos, advogou o princípio de que somos um Juventude interessada em saber e preparada para responder. Que exibe uma vantagem competitiva face aos seus adversários: é diferente, não só por afirmar as suas posições como tal, mas porque não lhes segue o rasto na metodologia de trabalho.

 

Política é isto: aprender com quem sabe, discutir entre iguais, ouvir todos, pensar a sério e decidir cabalmente. Nesta matéria a JP é clara: a morte não é solução para a vida! O remédio para os que sofrem é cuidar, não é matar. O tema da Eutanásia não pode ser discutido de ânimo leve, com recurso à retórica pífia e a soundbytes vazios. Nem lhe cabe ser capturado pelos diretórios partidários, proclamado em nome de um vanguardismo ilusório ou arrecadado por religiões.

 

A JP, sendo assumidamente contra qualquer prerrogativa legal que em nome de uma falsa liberdade atente contra vida humana, assumiu um papel ativo na promoção do debate consciente, sério, informado e rigoroso.

 

A JP sabe que a ignorância não se combate com a demagogia. Erradica-se com a cultura e o conhecimento. Para o príncipe dos poetas portugueses, os imortais são "aqueles que por obras valerosas se vão da lei da morte libertando". Não queiramos antecipá-la de forma calculada e objetiva. Façamos da vida uma coisa boa com as nossas obras!

 

 

JP marca presença na Futurália - Feira de Educação, Formação e Orientação Educativa

 

A JP não esgotou o seu fim de semana com o Colóquio sobre a Eutanásia, tendo estado presente na Futurália, em Lisboa. No primeiro Conselho Nacional do mandato, ficou a promessa de que a JP voltaria a estar representada nas maiores feiras de juventude, formação e emprego pelo país, desígnio que foi cumprido com sucesso.

 

A JP não troca as ideias pelos interesses, nem cede ao politicamente correto. Somos o que pensamos e ambicionamos que cada vez mais jovens se revejam na forma como estamos na política, subordinados a convicções fortes. Foi com esses pressupostos que a JP fez furor e arrasou com a concorrência, captando a atenção de todos os que por lá passaram, e atingindo, ao final de quatro dias de Feira, um marco que ficará para sempre na história da JP: 600 jovens que se filiaram na JP, aderindo às nossas ideias e comungando dos nossos valores.

 

Foi sem dúvida um fim de semana memorável e que espelha o dinamismo e a capacidade de trabalho, prova de que a JP vive um grande momento.