// OPINIÃO Pedro D'Orey Manoel _ // ALENTEJO - TERRA FERTIL PARA O CDS-PP

Quer queiramos quer não, é a política quer nos governa, ou seja, que influencia uma grande parte do nosso dia a dia e da vida dos que nos rodeiam.   Tudo começou há 13 anos, quando a Isabel Malanho me convenceu a filiar naquele que sempre tem sido o meu partido, o CDS-Partido Democrata Cristão que, de maneira única, defende os princípios que me guiam, os da democracia cristã- a defesa da vida, da iniciativa privada, do direito a um emprego, saúde, justiça e educação - para todos sem excepção.

 

Aceitei o desafio e acreditei que poderia dar o meu contributo, trazer alguma novidade, alguma mais-valia à minha terra e a quem lá vive.Comecei por fazer parte da equipe distrital de Évora entre os anos de 2013 e 2014, altura em que tentámos fazer o melhor que sabíamos, aprendendo, fazendo, errando, corrigindo. Trabalhamos em prol do Distrito durante ano e meio, findo os quais me candidatei à liderança da Distrital, com uma equipe com que acreditei ser possível continuar o trabalho iniciado anteriormente. Perdi as eleições o que não me desanimou. Foi uma oportunidade para cimentar ideias, pensar o futuro. Surgiu então o Frederico Carvalho com o desafio de um novo projeto- fazer parte da equipe concelhia de Évora, com o fim de preparar as eleições autárquicas que se avizinhavam. O terreno estava bravo mas sentimos que tínhamos hipótese de relançar o CDS, como força presente, visível e interventiva, num Alentejo já cansado de uma esquerda hermética e entediante.

Foi um orgulho fazer parte desta equipe, em que todos deram o seu melhor para fazer a diferença. Não posso deixar de agradecer a todos, sem excepção, por terem acreditado que seria o melhor candidato do CDS-PP à Câmara Municipal de Évora. Foi um desafio difícil, mas ao qual me entreguei de corpo e alma e que, só foi possível concretizar, com o apoio da minha família, dos meus amigos e do dinamismo de uma equipa jovem, dinâmica e com muita vontade de desbravar caminho. Esta equipe concelhia teve como timoneiro, Frederico Carvalho, uma pessoa integra que sempre acreditou que era possível chegarmos a um resultado histórico nunca deixando de defender aquilo em que acreditamos, aquilo que achamos que são as grandes traves mestras da nossa maneira de estar na vida, e que serão sempre, os princípios da democracia cristã. Eles estão implícitos nas nossas escolhas e decisões e nunca os deixaremos de lado nesta nossa caminhada política.

 

Assim espero que sejam sempre estes princípios que me guiem nas decisões futuras que terei de tomar, uma vez que aceitei liderar uma nova equipe para levar a distrital de Évora a afirmar o CDS como verdadeira e única alternativa de direita neste nosso Alentejo, que tanto precisa de políticas democratas cristãs, como é o caso das políticas de emprego, nomeadamente emprego jovem, políticas que defendam a família como célula basilar de uma sociedade moderna em que o Homem deve ocupar o lugar central.

"Assim espero que sejam sempre estes princípios que me guiem nas decisões futuras que terei de tomar, uma vez que aceitei liderar uma nova equipe para levar a distrital de Évora a afirmar o CDS como verdadeira e única alternativa de direita neste nosso Alentejo, que tanto precisa de políticas democratas cristãs, como é o caso das políticas de emprego, nomeadamente emprego jovem, políticas que defendam a família como célula basilar de uma sociedade moderna em que o Homem deve ocupar o lugar central."

Políticas que defendam a vida de uma maneira inquestionável do seu início ao seu final natural e que acreditam na iniciativa privada e no direito que todos têm em poder ter um serviço de saúde digno, uma educação que permita a todos escolher o percurso e o projecto educacional para os seus filhos. Não nos podemos esquecer da justiça que é fundamental para que quem não cumpre as leis e prejudica toda uma sociedade, seja corrigido de forma exemplar e isenta.

 

Neste momento o Alentejo ainda é um território maioritariamente comunista, infelizmente! Mas as coisas estão a mudar, se não veja-se:

 

- o exemplo de Elvas onde, há quatro anos, ninguém acreditava que o CDS pudesse ter, como teve, um vereador, o Tiago Abreu, que tão bem soube afirmar os princípios que defendemos, democracia, igualdade de oportunidades e trabalho em prol do bem comum.

 

- o exemplo de Montemor que a pouco e pouco, acreditando sempre que era possível ir mais longe, foi construindo o seu projecto, elegendo há quatro anos um deputado municipal e que nas ultimas legislativas, como resultado de todo o seu trabalho,  foi a terceira força mais votada, à frente do PSD, elegendo dois deputados municipais e três deputados a assembleias de freguesia. Ficou a escassos trinta e tal votos de eleger um vereador.

 

-o exemplo de Mourão que elegeu um deputado à assembleia municipal e um à assembleia de freguesia, que faz parte do executivo como tesoureiro. Sempre fomos e seremos um partido de boas contas, não admira a escolha.

 

- de parabéns está também o Diogo Amélio que no Redondo e contra todas as previsões, foi eleito como deputado municipal pela primeira vez na história autárquica daquela cidade Alentejana.

 

- finalmente o exemplo de Évora, onde fui candidato a presidente da Câmara Municipal e onde, ao fim de 24 anos de “jejum”, elegemos um deputado municipal, o Frederico Carvalho, um deputado à assembleia de freguesia do centro histórico, a Raquel Maudslay e pela primeira vez, um deputado à assembleia de freguesia da Malagueira, o José Miguel Leal da Costa e dois deputados à da Giesteira, a Helena Tira Picos da Rosa e o Vitor Almodovar.

Assim neste momento a distrital representa e dá apoio a 13 eleitos, número nunca antes alcançado. Defendemos a adopção de medidas que são solicitadas pelas populações locais e por outro lado faremos uma auscultação dos munícipes para sabermos das suas necessidades e quais as soluções mais adaptadas à resolução dos seus problemas.

 

É importante a consciência do partido a nível nacional, de que o Alentejo é terreno fértil. De Portalegre a Elvas, de Évora a Beja, somos, quiçá a zona do pais com maiores probabilidades de aumentar a representatividade, alicerçando as bases para daqui a quatro anos, com apoio e dedicação daqueles que cá estão, poder crescer a nível autárquico, atingir um novo histórico que nos permita intervir mais acutilantemente nos destinos dos nossos municípios.

 

Trabalharemos com as estruturas internas para fazer chegar ao governo da nação a necessidade do combate à interioridade, promovendo a coesão territorial, aproximando o Alentejo do resto do território quer a nível local quer a nível nacional. Assim lutaremos por conseguir desenvolver projectos estruturantes, como é o caso da ligação ferroviária entre Sines e Caia, que foi e será uma batalha desta distrital. A nível local lutaremos para que em tempo útil seja construído o Hospital Distrital de Évora que mais uma vez foi “empurrado com a barriga”, por este governo para 2023!!

 

As sementes estão lançadas; esperamos todo o apoio do partido. O nosso Alentejo é terra fértil. Temos de ser trigo onde o joio, desde há muitos anos nos tenta abafar e silenciar. Nas próximas eleições seremos mais. Assim saibamos defender as pessoas acima de tudo.

 

É tempo de termos coragem de assumir o nosso lugar. Queremos trabalhar. Com o vosso apoio e o nosso trabalho chegaremos longe. Vamos ao trabalho!

 

﷯ folhacds 22 MARÇO 2018