// AUTARCAS Lisboa Segura _ // LISBOA

O vereador do CDS na Câmara de Lisboa, João Gonçalves Pereira, criticou a "inação" do presidente da autarquia, Fernando Medina, e do ministro da Administração Interna em relação à segurança na noite da capital.

 

O vereador reagiu aos confrontos entre dois grupos, que envolveram 14 jovens entre os 18 e os 20 anos, e que provocaram seis feridos na zona das docas, em Lisboa.

 

"Estamos apreensivos com a inação do presidente da Câmara Municipal de Lisboa e do ministro da Administração Interna. Temos assistido a sucessivos episódios [de violência na noite], o mais mediático e o que mais controvérsia gerou, o do Urban Beach", acusou o número dois de Assunção Cristas na autarquia.

 

De acordo com João Gonçalves Pereira, os casos que têm vindo a ser relatados "não têm uma gravidade muito grande".

 

Alertou, contudo, que a integridade física daqueles que saem à noite pode estar "realmente em causa", além de todos os efeitos negativos que casos como este "provocam em termos da imagem da cidade e do país".

 

"Estamos a entrar no período do pico do turismo, na primavera-verão há muito mais gente nas ruas. Parece que [os dois responsáveis] não tiraram grandes lições daquilo que sucedeu no Urban Beach", frisou.

 

Segundo o vereador, o partido tem recebido várias queixas por parte de moradores que dão conta de casos de violência na noite de Lisboa, alguma que acontece no interior dos espaços de diversão noturna, mas a maior parte, conforme salienta, "no exterior o que já se trata de perturbação da ordem pública".

 

"Para nós, parece evidente que a polícia sabe atuar neste tipo de situações, mas o que pode haver é carência de meios", sublinhou.

 

João Gonçalves Pereira lembrou ainda que os vereadores remeteram há mais de dois meses um pedido de respostas sobre vários assuntos relacionados com a discoteca Urban Beach, além de outros, questionando o presidente do executivo socialista quais as medidas acordadas com o ministério da Administração Interna e que, até ao momento, ainda não obtiveram resposta.

 

 

 

 

﷯ folhacds 19 ABRIL 2018