// NACIONAL CDS quer duplicar os seus eurodeputados
 " Estamos a dez meses das eleições e vamos para a rua. Temos aqui o primeiro cartaz, que diz simplesmente Europa, o que mostra o compromisso do CDS com uma Europa que, queremos, seja exigente num conjunto de questões que tocam no nosso dia-a-dia "

Assunção Cristas fixou como objetivo das Europeias a eleição de dois deputados, que uma vez alcançado significará a reconquista do segundo eurodeputado perdido em 2013.

 

"Nas eleições europeias trabalharemos todos intensamente com o Nuno Melo para que consiga dobrar o resultado, afirmando um projeto profundamente europeísta no respeito pela diversidade dos Estados Membros, que fazem a riqueza e a singularidade da Europa", disse a líder do CDS no Congresso de Lamego.

Reforçou ainda que tem “a vontade de fazer um trabalho consistente, com antecedência”.

 

Reforçou ainda que tem “a vontade de fazer um trabalho consistente, com antecedência”.

 

"Estamos a dez meses das eleições e vamos para a rua. Temos aqui o primeiro cartaz, que diz simplesmente Europa, o que mostra o compromisso do CDS com uma Europa que, queremos, seja exigente num conjunto de questões que tocam no nosso dia-a-dia", afirmou em Matosinhos onde arrancou com esta iniciativa a pré-campanha.

 

Assunção Cristas revelou-se empenhada em “construir um futuro que queremos seja sempre um passo à frente, desde logo nos calendários, porque só com o trabalho de casa feito com tempo, com antecedência e com muito cuidado podemos ter melhores representações".

Também o cabeça de lista, Nuno Melo, vice-presidente do partido e atual eurodeputado assume que o objetivo é pelo menos duplicar o resultado. “Gostava de reconquistar para o CDS o outro deputado que perdemos. Acredito que é possível”, afirmou.

 

"Avançamos antes dos outros com mensagens que são muito distintivas", enfatizou o candidato centrista, sublinhando ser o CDS "um partido europeísta, mas não federalista", decorrendo esse perfil do facto de quererem que os "eurodeputados portugueses sejam escolhidos pelos portugueses".

 

Nuno Melo frisou que "tudo daquilo que mais importa a Portugal discute-se e decide-se em Bruxelas ou em Estrasburgo", convidando os outros partidos para o debate com a alegação de ser "pouco lúcido" falar-se da Europa apenas em contexto eleitoral.

 

As eleições europeias realizam-se em Portugal em 26 de maio de 2019.

 

 

﷯ folhacds 27 JULHO 2018