// PARLAMENTOS “Novas gerações são o futuro dos Açores e da Autonomia” // ALRAA

Na sessão de abertura da III Universidade da JP/Açores, que se realizou na ilha do Pico, o presidente do CDS Açores, Artur Lima, referiu que a JP é uma “juventude partidária muito qualificada”, que “não serve para colar cartazes e abanar bandeiras”, revelando que sempre integrou e integrará nas suas listas jovens da JP/Açores.

 

Relativamente ao futuro do CDS e à sua hipotética candidatura a mais um mandato à frente dos centristas, Artur Lima agradeceu as palavras do Secretário-Geral da JP, André Silveira, que anunciou, na sua intervenção, o apoio da JP/Açores à recandidatura de Artur Lima. O líder do CDS, que também o é da bancada parlamentar na Assembleia Legislativa Regional, referiu ainda que não meteu os papéis para a reforma e que está disponível para continuar a dar o seu contributo ao CDS e à sociedade açoriana. Segundo Artur Lima, “Há muito para fazer. E creio que conjuntamente com a juventude, que não abdica de ser feliz na sua terra, vamos construir a alternativa não socialista que a Região precisa”.

 

Quanto ao tema em discussão na Universidade de Verão da JP/Açores, Artur Lima considerou “a autonomia foi a melhor realização que o Estado teve no pós 25 de abril”, dotando as regiões autónomas de órgãos de governo próprio e com a capacidade e os meios “para nos governarmos e nos desenvolvermos mais do que os outros”. No entanto, para Artur Lima, “não basta ter autonomia, porque para sermos melhor do que os outros, era preciso ter um bom governo, o que nem sempre tem acontecido na Região”. Além disso, salientou o líder centrista, “temos os meios todos à nossa disposição”, porém, “passadas quatro décadas de autonomia, não temos um sistema de transportes marítimo eficaz a ligar todo o arquipélago nem as ligações aéreas servem os açorianos e a sua mobilidade interna”.

 

O presidente do CDS regional referiu também que, apesar da autonomia, “somos a última região portuguesa no índice de coesão, temos péssimos resultados na educação e o nosso serviço de saúde não consegue corresponder às necessidades dos açorianos”.

 

Artur Lima terminou a sua intervenção, apelando aos jovens que lutassem e se empenhassem pelo aperfeiçoamento da autonomia, porque as “novas gerações são o futuro dos Açores”.

 

No que concerne às aulas dadas durante a III Universidade da JP/Açores, a primeira intervenção coube à professora Rute Gregório, doutorada em História, que abordou os aspetos históricos da afirmação autonómica dos Açores. Seguidamente, o mestre Arnaldo Ourique, investigador e especialista em direito constitucional autonómico, deu uma aula intitulada “A urgência da autonomia”, onde considerou que o “problema estrutural dos Açores está no sistema de governo e na falta de fiscalização política”. Quanto ao doutor Armando Mendes, doutorado em História, Defesa e Relações Internacionais, realizou uma palestra intitulada “Açores nas relações externas de Portugal”.

 

Na sessão de encerramento da Universidade de Verão da JP/Açores, a presidente da JP/Açores, Séfora Costa, que “esta universidade demonstrou que temos uma equipa sólida e que junto trabalharemos para fazer crescer ainda mais a JP/Açores, aumentando a sua força, expressão e representatividade”. A líder dos jovens centristas, agradeceu ao presidente do CDS, Artur Lima, “pela ajuda, empenho e disponibilidade em apoiar esta formação política e cívica.”

 

Séfora Costa referiu que a autonomia é a “base do que somos, o sustentáculo da nossa identidade”. Apesar dos méritos da autonomia, e passados 40 anos, a presidente da JP/Açores considerou existirem “problemas sérios que persistem na Região”. Para Séfora Costa, “colocam-se questões importantes que exigem repostas que quem governa e está no poder há mais de duas décadas já demonstrou não ser capaz de realizar, salientando que continuamos na cauda do desenvolvimento nacional e somos a última região nos principais indicadores sociais e económicos”.

 

 

﷯ folhacds 18 SETEMBRO 2018